Migrações Tráfico de Pessoas

Relatório da Cáritas alerta para tráfico humano em situações de conflito

Written by Daniela Alves

A rede de organizações da Cáritas da área euro-mediterrânica lançou um novo relatório para alertar sobre o baixo nível de prevenção ao tráfico humano em situações de conflito e pós-conflito. Por causa disso, muitas pessoas vulneráveis que estão fugindo do perigo acabam nas redes de criminosos.

O relatório, intitulado “Tráfico de seres humanos em situações de conflito e pós-conflito”, é o resultado de uma pesquisa e ações realizadas pela Cáritas em 10 países da zona euro-mediterrânica: Albânia, Armênia, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, França, Kosovo, Líbano, Romênia, Turquia e Ucrânia. As organizações nacionais da Cáritas nestes países identificaram situações de risco para as pessoas vulneráveis e tomou ações para enfrentá-las.

Juntamente com os resultados desta pesquisa, o relatório inclui uma série de recomendações para os governos nacionais, as Nações Unidas, a União Europeia e os doadores internacionais para melhorar a prevenção, a identificação, a aplicação da lei e a proteção das vítimas de tráfico para criança, sexual, exploração laboral e de órgãos.

4 Exemplos dos resultados

Na Albânia e no Líbano, a Cáritas identificou que os diferentes representantes das autoridades que estão ativamente envolvidos com a recepção de migrantes e requerentes de asilo não foram hábeis o suficiente para identificar situações de risco e pessoas em risco numa fase inicial. Por isso, a Cáritas Albânia organizou 7 treinamentos para 205 representantes das autoridades de áreas como serviços sociais, educação, mercado de trabalho, judicial e policial. No Líbano, os treinamentos da Cáritas incidiram sobre os policiais que trabalham diretamente com os migrantes e refugiados que chegam.

Na Turquia, a Cáritas lançou os holofotes sobre o trabalho e casamento infantil. A Cáritas Turquia tem colaborado com escolas frequentadas por crianças refugiadas sírias e professores treinados na identificação precoce dos alunos em risco.

Na Armênia, a exploração do trabalho foi identificada como a principal fonte de tráfico de pessoas. Por isso, a Cáritas Armênia administra diversos programas para migrantes e refugiados de microfinanças e atividades econômicas que lhes permitam viver pelos seus próprios meios, assim, sendo mais resiliente aos traficantes.

Para ler o estudo acesse: https://www.mendeley.com/groups/8710241/tráfico-de-pessoas

About the author

Daniela Alves

Diretora Executiva do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais. Formada em Relações Internacionais. Mestre em Medicina pela UFRGS. Vencedora do Prêmio Libertas do Ministério da Justiça e UNODC. Vencedora do Prêmio da JCI na categoria contribuição às Crianças, aos Direitos Humanos e a Paz Mundial.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: