Sem categoria

Tráfico para cultivar cannabis: migrantes vietnamitas estão sendo explorados na Grã-Bretanha

Written by Daniela Alves

Por – Diretor do Liverpool Center for Advanced Policing Studies, Liverpool John Moores University

 

Era “como a vida de um cachorro”, uma vietnamita me contou sobre sua experiência de viver no Reino Unido. Ela tinha sido traficada para o país e disse que não tinha “trabalho fixo e nenhuma acomodação fixa“. A mulher, que entrevistei como parte de minha pesquisa “explorando o tráfico de pessoas e o Vietnã”, voltou ao Vietnã.

Mas a distinção entre tráfico e migração irregular é uma questão complexa e política – e algumas pessoas que o Reino Unido define como vítimas de tráfico de seres humanos, não se veem assim. Outro homem que eu entrevistei, que também voltou para o Vietnã depois de ser contrabandeado para o Reino Unido para trabalhar em uma plantação de cannabis, me disse que ele estava “muito feliz e gostaria muito de voltar“.

Um novo relatório que escrevi como co-autor para o Comitê Anti-Escravidão Independente do Reino Unido detalha os tipos de rotas que os vietnamitas usam para chegar ao Reino Unido – e destaca as deficiências das autoridades britânicas no rastreamento e ajuda às pessoas traficadas para o país.

A maioria das vítimas do tráfico no Reino Unido faz parte de uma comunidade de diáspora respeitadora da lei que estabeleceu empresas de nicho de sucesso, como supermercados vietnamitas e restaurantes. No entanto, algumas partes da comunidade vietnamita se destacaram no cultivo da cannabis, aumentando-a em escala industrial em todo o Reino Unido e que constituem uma parte significativa do mercado de cannabis que gera bilhões de libras.

Nos últimos dez anos, o cultivo por atacado e a distribuição da cannabis provaram ser tão lucrativos para os produtores vietnamitas que as oportunidades econômicas disponíveis no Reino Unido tornaram-se um imã para novos migrantes irregulares que desejam tentar a sorte. Em fevereiro de 2017, a polícia de Wiltshire, no oeste da Inglaterra, descobriu um bunker nuclear que havia sido convertido para abrigar uma vasta plantação de cannabis, composta por trabalhadores vietnamitas .

 

Fazendo a jornada

Notícias sobre as perspectivas econômicas de avanço no Reino Unido se espalharam no Vietnã nos últimos anos. Apesar do crescimento macroeconômico amplamente divulgado sobre o Vietnã, as perspectivas para muitos são limitadas por uma educação deficitária, pelo subemprego e pela corrupção. Enquanto partes do Vietnã estagnam, partes da diáspora vietnamita na Alemanha, na França e na República Checa estão prosperando.

 

Muitos dos vietnamitas que deixaram o fazem em busca de um trabalho mais lucrativo. Banco de Desenvolvimento Asiático / flickr , CC BY-NC-ND

Como resultado, novas áreas para a migração do Vietnã incluem comunas dentro das províncias centrais, que são mais pobres do que a população do norte, como Hai-Phong, onde as migrações iniciais vieram. A viagem para os migrantes vietnamitas que tentam chegar irregularmente ao Reino Unido é cara e pode custar até 30.000,00 libras (trinta mil libras). Os migrantes que tentam não são os mais pobres em suas comunidades, mas têm de assumir dívidas pesadas ou vender seus negócios para fazer a travessia.

As rotas estão bem estabelecidas. Uma rota é uma longa viagem pela Rússia e, em seguida, através da Europa Oriental com uma estada prolongada na França antes de atravessar o canal em caminhões. Uma rota mais curta é usar vôos diretos para a Irlanda ou a Holanda, usando vistos legais antes de levar barcos para o Reino Unido, o que custa ainda mais.

Para alguns, a viagem é simples, para outros, pode ser perigosa. Eles também são vulneráveis ​​a grupos criminosos que controlam partes da jornada, como o acesso a caminhões em Calais. Na chegada, alguns migrantes estão endividados, isolados e vulneráveis ​​- e são explorados.

 

As crianças são extremamente vulneráveis

As autoridades vietnamitas veem a questão não como o tráfico, mas como migração econômica, algo que encorajam devido às grandes remessas que traz.

 

Uma grande comunidade vietnamita no Reino Unido administra restaurantes e supermercados. jwmoz / flickr , CC BY-NC-ND

A tensão é mais evidente quando se trata de crianças. No Vietnã, a infância termina aos 16 anos e algumas famílias vietnamitas acreditam que aos 16 um menino é robusto o suficiente para fazer a jornada e que pagar pela sua viagem será um investimento lucrativo. Isso significa que a comunidade vietnamita no Reino Unido e as autoridades vietnamitas muitas vezes não reconhecem que os jovens são de fato crianças de acordo com a lei do Reino Unido.

Muitos deles têm idade entre 14 e 17 anos e são encontrados trabalhando em condições perigosas, principalmente nas fazendas de cannabis. De acordo com a Lei de Escravidão Moderna os jovens não são mais processados ​​e são tratados como vítimas, mas acomodações que são oferecidas não são seguras e muitas vezes são re-traficados antes de serem identificados corretamente.

 

Melhor acompanhamento

O governo do Reino Unido está interessado em estar na vanguarda da batalha contra o tráfico e a escravidão moderna e oferecer proteções para as vítimas genuínas. Mas também quer desencorajar futuros migrantes que possam fazer a jornada no futuro.

Não se sabe o suficiente sobre as vítimas, quem são realmente e até que ponto as alegações que eles fazem do tráfico são verdadeiras. Nosso relatório conclui que os dados sobre as experiências das vítimas dentro do Mecanismo Nacional de Referência para o tráfico de seres humanos não são registrados com precisão, nem atuam corretamente. Recomendamos um redesenho por atacado do sistema de gerenciamento de dados, que assegurará que informações sobre vítimas sejam devidamente registradas, analisadas e disseminadas.

Se uma pessoa é descoberta ter sido traficada, os traficantes devem ser processados. Mas os grupos criminosos vietnamitas são muitas vezes uma baixa prioridade policial e são muito demorados e difíceis de investigar. Recomendamos que a polícia recalibre sua resposta trabalhando com contatos confiáveis ​​na comunidade vietnamita, a fim de identificar os principais atores e reduzir seus lucros criminosos. Em última análise, é a eliminação dos lucros do cultivo de cannabis e do tráfico de pessoas que reduzirão o número de vítimas potenciais preparadas para fazer a viagem ao Reino Unido.

 

Fonte do artigo: http://theconversation.com/trafficked-to-grow-cannabis-vietnamese-migrants-are-being-exploited-in-britain-83738

About the author

Daniela Alves

Diretora Executiva do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais. Formada em Relações Internacionais. Mestre em Medicina pela UFRGS. Vencedora do Prêmio Libertas do Ministério da Justiça e UNODC. Vencedora do Prêmio da JCI na categoria contribuição às Crianças, aos Direitos Humanos e a Paz Mundial.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: